Oct 21

Sobre Técnicas Verticais

Por José Ricardo Auricchio

As Técnicas Verticais são atividades muito utilizadas por espeleólogos para explorar abismos ou por biólogos para fazer coleta de amostras de sementes, folhagens, observação de animais e outros. Atividade que já se tornou muito conhecida no ramo de turismo de aventura como atividade recreativa e muito emocionante.É o conjunto de técnicas de subidas, descidas e movimentação em desníveis verticais usando os mesmos equipamentos de segurança dos alpinistas, como cordas, fitas, mosquetões, cadeirinha e outros acessórios específicos. É utilizada na prestação de serviços em altura, resgate em ambientes verticais, ou pelo simples prazer de descer uma parede, uma ponte ou uma cachoeira no denominado canyonismo ou cascading. Sozinhas, as técnicas verticais com rapel não são consideradas um esporte, mas sim uma técnica que pode compreender alguns esportes de aventura, como a escalada, no qual o escalador vai ter que ter domínio delas para auxiliar na subida e descida, no canyonismo, onde seguindo o percurso do rio no sentido da correnteza, a pessoa vai ter que transpor obstáculos naturais como cachoeiras, e em espeleologia (exploração e estudo de cavernas) onde podem existir trechos com abismos, clarabóias, dolinas, entre outros obstáculos naturais a serem transpostos.

A palavra “rappel” deriva do verbo francês rappeler, que significa lembrar, chamar, fazer voltar, por isso, por muito tempo o rapel foi considerado descida feita por meio de corda dupla, onde após descer, a pessoa recuperava a corda, chamando-a, fazendo voltar para si. Por isso, rapel era feito somente em montanhismo, onde o escalador descia através de cordadas (etapas a serem transpostas de um ponto de ancoragem a outro) e no canyonismo, onde para descer as cachoeiras o canyonista tinha que recolher a corda para próxima descida.

A descida em corda simples era chamada de “descida em corda fixa”, devido ela estar fixada no ponto de ancoragem, e conseqüentemente não ter como recuperá-la, permitindo com que muita das vezes a pessoa pudesse subir pela mesma, como é o caso da espeleologia, onde o espeleologo desce, mas tem que voltar pela corda utilizando a técnica de ascensão para sair da cavidade.

Devido à popularização da técnica de descida em corda, generalizou-se como rapel toda descida, seja ela em corda simples ou dupla, mais o mais correto continua sendo as abordagens acima relacionadas.

Com desenvolvimento das técnicas verticais as pessoas descobriram que o rapel pode fazer parte do turismo de aventura, permitindo com que elas possam ir para cachoeiras, cânions, vales e cavernas fazer algo a mais para se divertirem e interagirem com estes atrativos naturais, já que para fazê-lo não há necessidade de força física e nem domínio das técnicas. Afinal, os procedimentos técnicos de montagem dos equipamentos e operação em segurança, são as operadoras capacitadas que realizam.

Hoje as técnicas verticais são usadas também em peças de teatro, circo, montagem de palcos de shows e eventos, montagem de iluminação em shoppings na época de natal. São utilizadas também na manutenção de torres de telefonia, na manutenção de plataformas de petróleo entre outros lugares.

Mas para quem quer começar o ideal é procurar uma empresa idônea com profissionais capacitados que utilizem todos os equipamentos de segurança e que façam seguro pra os participantes.

Não arrisque sua vida nas mãos de qualquer pessoa em troca de algum desconto ou benefício.