Oct 19

O que é a condromalácia do joelho?

O joelho é uma articulação que trabalha proximo a seus limites fisiologicos.

Por que o joelho doi?

Para entender por que o joelho dói, é necessário primeiro conhecer o conceito do "aparelho extensor" , que compõe-se da patela, da massa muscular anterior da coxa, um forte músculo chamado quadriceps e dos tendões quadricipital e patelar. Como o proprio nome diz, a  função deste conjunto e a de estender o joelho, movimento necessário para, por exemplo, chutar uma bola.

Esquema ilustrativo do aparelho extensor. Na figura, o joelho é visto de frente, notando-se a relação entre o femur, a patela e o músculo quadríceps.

Nas atividades da vida diária e nos esportes, a principal função do aparelho extensor, por incrivel que pareça não é a estendê-lo, mas sim de desacelerá-lo, absorvendo energia cinética. Isso e feito por um mecanismo denominado contração excêntrica, na qual o músculo contraído alonga-se contra resistência. Além da ação muscular, o aparelho extensor conta também com as propriedades viscoelásticas dos tendões e cartilagem articular.

Se todas estas estruturas funcionam bem e estao íntegras, tudo vai bem. Porem, havendo predisposição individual, fraqueza e desequilíbrio muscular, somado a sobrecarga mecanica do esporte ou excesso de escadas ou salto alto, uma lesão podera se instalar,em especial na região anterior do joelho, onde a patela se articula com o femur, que chamamos de femuropatelar.

A condromalacia da patela é uma condicao extremamente freqüente no consultorio medico e tem ganho popularidade no rol de doencas do joelho.

A palavra provem da aglutinacao dos radicais chondros, cartilagem e malacea, amolecimento, traduzindo portanto um "amolecimento da cartilagem" retropatelar.

Na ilustração, nota-se a degeneração da cartilagem patelar (condromalacea) secundária a uma "hiperpressão" lateral ( lateral TILT, em inglês).

Ate 10 anos atras, acreditava-se que este "amolecimento cartilaginoso" era causado puramente por sobrecarga mecanica e que explicava a dor que o paciente sentia. Iniciou-se então uma serie de procedimentos cirurgicos para alivio de sintomas  na tentativa de se regularizar o tecido doente. A alta taxa de insucessos e o melhor conhecimento do funcionamento do joelho, levou a comunidade científica a rever os conceitos e optar em primeira mão pelo tratamento fisioterápico.

Imagem típica de condromalacea durante uma artroscopia do joelho. Nota-se a lesão cartilaginosa pelas "franjinhas" e irregularidades.

Trabalhos científicos recentes têm demostrado que muitas pessoas cujos joelhos apresentam  imagem de condromalacia, às vezes já em estagios avançados presentes na ressonância magnética não têm necessariamente dor. Em outras palavras, a condromalacia pode, muitas vezes ser apenas um achado de exame e a dor, decorrente de inflamação de outros tecidos. Por este motivo, preferimos abordar o assunto como sobrecarga femuropatelar.

 


Quem esta sujeito a isso?

Em tese, qualquer pessoa pode vir a desenvolver  esta condição, mas algumas profissões e atividades esportivas estao mais sujeitas. Dirigir muito, muito tempo sentado com joelhos flexionados, excesso de escadas são fatores relacionados.  

As mulheres parecem estar especialmente em risco de desenvolve-la. O salto alto, que mantem  o joelho em constante desaceleração é um fator importante, mas estudos têm indicado um funcionamento diferente do joelho masculino.

Esportes que exigem constante desaceleração como a corrida, basquete, volei e tenis nossa abordagem levam freqüentemente a esta condição.


Nossa abordagem

Frente a um quadro de sobrecarga femuropatelar com ou sem o amolecimento cartilaginoso, somos a favor da invetigação e compensação de pisadas anomalas, em especial, em pronadores, seguida da reabilitação com os seguintes objetivos:

1) analgesia
2) controle do inchaço ("agua no joelho")
3) alongamento muscular, em especial isquiotibiais, ou posteriores de coxa e rotadores do quadril
4) fortalecimento muscular, principalmente do quadriceps.    

Havendo alivio das dores, "entregamos" o paciente ao profissional de educação fisica para  dar continuidade ao trabalho de alongamento, fortalecimento e reequilibrio muscular.Tudo isso, obviamente, sob contato continuo e harmonioso entre o educador fisico e profissionais da saúde.

O periodo que se segue e de acompanhamento  medico e fisioterapico a fim de se evitar a recidiva da lesao.


Tratamento cirúrgico

Conforme mencionado acima, deixamos o tratamento cirurgico para segundo plano. Mas, havendo falha do tratamento conservador, através da artroscopia do joelho, realizamos o desbridamento sinovial, regularização da cartilagem lesada e liberação (releases) de tecidos que dificultem o funcionamento da patela.         


Dr. Adriano Leonardi
CRM/SP 99660
Mestre em Ortopedia e Traumatologia pela Santa Casa de São Paulo.
Médico ortopedista especialista em cirurgia do joelho, traumatologia do esporte e wilderness medicine.